Dr. Eduardo Sisterolli Alencar                                          login pacientes (área reservada):

Varizes associadas à insuficiência de safenas

Fevereiro/2010

São duas as safenas de cada perna: a safena magna e a safena parva. Essas veias fazem parte do sistema venoso superficial situando-se, respectivamente, nas partes mediais (partes internas) do tornozelo, perna, joelho, coxa e virilha (safena magna) e em toda a região posterior da panturrilha e da região poplítea (parte posterior do joelho)(safena parva).

É importante avaliar bem essas duas veias, utilizando-se o ecodoppler colorido venoso, pois a insuficiência ou dilatação dessas veias leva ao surgimento de varizes mais calibrosas e com maior tendência à complicações. Quando 'doentes', as safenas tem que ser tratadas, sob pena de recidiva da patologia (aparecimento de novas varizes, em um período curto de tempo).

Tratamentos disponíveis:


EVLT (endolaser) ecoguiado: o surgimento do EVLT (endovenous laser treatment), ou endolaser venoso, resultou em um grande progresso para o tratamento das insuficiências de safenas, porque é menos invasivo, dispensando tanto os cortes maiores, feitos na cirurgia tradicional, quanto o arrasto da safena, executado durante a sua ablação (retirada) o que pode gerar lesões nervosas, originando parestesias regionais definitivas (dormências) nas pernas e lesões linfáticas, além dos hematomas e da dor pós-operatória, que é sumamente maior. O EVLT consiste em uma fibra laser, introduzida na safena, por meio de uma agulha, direcionada pelo ecodoppler colorido, fibra essa que, quando posicionada no sítio comprometido da safena, dispara pulsos de laser repetidos, queimando a veia internamente, provocando sua fibrose e parada do refluxo. O ecodoppler colorido, utilizado durante o procedimento, serve tanto para evitar que veias não envolvidas no processo patológico sejam destruídas, quanto para avaliar a eficácia da oclusão da safena 'doente'.

O pós-operatório do EVLT é praticamente indolor.


Esclerose com microespuma (espuma densa), ecoguiada: consiste na injeção intra-safênica de agente esclerosante, na apresentação de microespuma, acompanhada pelo ecodoppler, visando o fechamento da safena, por meio da inflamação e posterior fibrose da mesma. Esse método evita o 'arrancamento traumático' da safena e suas complicações, da cirurgia tradicional, e têm grande eficácia e segurança, quando realizado com as técnicas corretas e é, juntamente com o laser, um tratamento prefencial para esse tipo de mal venoso.


Cirurgia tradicional: consiste na dissecção da safena doente, em dois pontos do membro, através de cortes maiores, e a posterior introdução de um fino cabo de aço que, após fixado à veia é retirado, trazendo consigo a safena 'doente'. Em casos selecionados, a safena não precisa ser retirada, sendo realizado apenas um pequeno corte na virilha, para se realizar uma ligadura (separação da safena da origem do refluxo).


Radiofrequência ecoguiada: semelhante ao EVLT, onde se utiliza um catéter, que é introduzido na luz venosa, com a diferença de ser dotado de uma ponta de catéter emissora de radiofrequência, que utiliza o princípio do micro-cautério, onde as ondas de rádio, de alta frequência, são transformadas em calor. O calor, produzido pela ponta do catéter, queima a veia, provocando sua fibrose e consequente fechamento. Não apresenta vantagens, em comparação à técnica do laser.


Qual o melhor método?


No meu serviço, de acordo com cada caso, utilizo o EVLT e/ou a Espuma Densa, exclusivamente, no tratamento das incompetências juncionais ou infra-juncionais das safenas.