Dr. Eduardo Sisterolli Alencar                                          login pacientes (área reservada):

Complicações

Março/2010

As complicações são provocadas pela hipertensão venosa crônica gerada, a seu turno, pela dilatação dos vasos que, reflexamente, aumentam a pressão nas vênulas e capilares, fazendo com que ocorra o extravasamento de líquido e de várias substâncias para o subcutâneo e para a derme.

As complicações mais comuns são:

Dermatite ocre: inicialmente surgem pequenas manchas vermelhas puntiformes, nos tornozelos e pés que, com o passar do tempo, evoluem para uma hiperpigmentação escura. Essas manchas 'definitivas' são causadas pelo estravasamento capilar de hemoglobina que, progressivamente, sob exposição luminosa, se transforma em hemossiderina, pigmento que forma uma tatuagem permanente e incomoda muito a paciente, esteticamente. Pelo seu caráter definitivo, as varizes devem ser tratadas antes que apareçam essas inestéticas manchas.

Esclerodermia: à medida que as varizes evoluem, a perna distal e os tornozelos, têm a vascularização prejudicada e a pele desses locais vai se tornando fina, fibrosada, brilhante, que não se cicatriza facilmente quando ocorre alguma lesão, apresentando propensão para a formação de ulcerações distais.

Erisipela: o tecido da perna, edemaciado pela presença de varizes, não se defende bem das agressões de agentes patogênicos, como as bactérias, e se torna suscetível à infecções, as ditas erisipelas que, não raramente, assumem caráter gravíssimo, com formação de dolorosas bolhas e perda de grandes extensões de pele, gerando posteriormente cicatrizes semelhantes à de queimaduras extensas.

Eczema varicoso: durante o extravasamento de líquido para os tecidos, devido à hipertensão venosa ocorre, concomitantemente, a saída de substâncias denominadas cininas, situação que dá início a um quadro de 'alergia' endógena, que se traduz em prurido (coceira), com surgimento de uma dermatite em pernas e tornozelos, o que faz com que a paciente coce essas regiões, provocando arranhaduras, com o aparecimento das úlceras de estase (feridas de difícil cicatrização, de localização preferencial na parte interna dos tornozelos).

Ăšlceras venosas: são feridas de difícil cicatrização, em que há perda de pele e exposição dos tecidos mais profundos, localizadas principalmente, na parte interna da perna e tornozelo.

Tromboflebite superficial: é a formação de coágulos, nas veias superficiais, principalmente as varicosadas, provocando o aparecimento de nodulações doloridas, avermelhadas e inflamadas no trajeto das varizes.

Trombose venosa profunda (TVP): o sangue dos portadores de varizes circula mais lentamente, em razão da hipertensão venosa; quando isso acontece, a probabilidade de que ele se coagule e forme trombos, obstruindo o sistema profundo, que é responsável pelo retorno de 80-85% do sangue dos membros inferiores, é maior, caso em que ocorre a trombose venosa profunda, com o aparecimento de edema intenso, dor, e mudança de coloração da pele da perna, variando desde o tom pálido até um azulado. É um quadro de urgência que requer intervenção médica imediata, por meio da administração de anticoagulantes, a fim de evitar a progressão do coágulo e também para impedir a migração do trombo, o que daria origem a um quadro mais grave ainda, a embolia pulmonar.